Política em Freud

No tocante à bibliografia sobre política em Freud é preciso considerar que não há uma menção explícita a essa palavra na obra do fundador da Psicanálise. Contudo, admite-se largamente que nos chamados “textos sociais”encontraria-se a articulação dessa questão.

Ainda que não seja desprovida de interesse, tal observação deixa passar desapercebido que o método freudiano de tratamento implica na instauração de uma nova relação e, nesse sentido, a partir dela, uma serie de questões, inclusive a da sua própria constituição podem ser articuladas com diferentes extensões. Para tanto, será preciso recolher o que Freud apreende e elabora no exercício de seu método orientado pela economia do desejo inconsciente.

Assim se poderá reconhecer o destaque conferido aos diferentes vínculos sociais que procuram suturar a condição de desamparo que é constitutiva a cada um. Tal reconhecimento permite retomar a geração de teorias que procuram eliminar o mal estar na história do movimento psicanalítico, tanto quanto são responsáveis pela geração de ilusões como estratégia de condução dos grupos.

1- Determinismo, crença no acaso e superstição – alguns pontos de vista in Sobre a Psicopatologia da vida cotidiana (1901)

2- Os motivos dos chistes – chistes como processo social in O chiste e sua relação com o inconsciente (1905)

3- Psicanálise e a determinação dos fatos nos processos jurídicos (1906)

4- Moral sexual civilizada e doença nervosa moderna (1908)

5- Psicanálise silvestre (1910)

6- Contribuição para uma discussão acerca do suicídio in Breves escritos (1910)

7- Recordar, repetir e elaborar (1914)

8- Totem e tabu (1913 [1912 -13])

9- Algumas reflexões sobre a psicologia do escolar (1914)

10- A história do movimento psicanalítico (1914)

11- Sobre o narcisismo (1914)

12- As pulgões e suas vicissitudes (1915)

13- Luto e melancolia (1917[1915])

14- Reflexões para os tempos de guerra e morte (1915)

15- Sobre a transitoriedade (1916[1915])

16- Psicanálise e Psiquiatria. Conferencia XVI in Conferencias introdutórias sobre Psicanálise (1916 -1917 [1915-1917])

17- A vida sexual dos seres humanos. Conferencia XX in Conferencias introdutórias sobre Psicanálise (1916 -1918{1915-1917])

18- Sobre o ensino da Psicanálise nas Universidades (1919 [1918])

19- Introdução a A Psicanálise e as neuroses de guerra (1919)

20- Além do princípio do prazer (1920)

21- Psicologia de grupo e análise do ego (1921)

22- Alguns mecanismos neuróticos no ciúme,na paranóia e no homossexualismo (1922)

23- O ego e o id (1921)

24- Uma neurose demoníaca do século XVII (1923 [1922])

25- O problema econômico do masoquismo (1924)

26- A perda da realidade na neurose e na psicose (1924)

27- As resistências à Psicanálise (1925 [1924])

28- A negativa (1925)

29- Um estudo autobiográfico (1925[1924])

30- A questão da análise leiga (1926)

31- O futuro de uma ilusão (1927)

32- O mal estar na civilização (1930[1929])

33- Fetichismo (1927)

34- O Humor (1927)

35- A questão de uma weltanschanung. Conferencia XXXV in Novas conferencias sobre Psicanálise (1935[1932])

36- A aquisição e o controle do fogo ( 1932{1931])

37- Por quê a guerra? (1933[1932])

38- Moisés e o monoteísmo: Três ensaios (1939[1934-38])

39- Análise termináveis e interminável (1937)

40- Construções em análise (1927)

41- A divisão do ego no processo de defesa (1940 [1938])

42- Um comentário sobre o Anti-semitismo (1938)